PUBLICIDADE
Quinta, 02 de Julho de 2020

Notícias Mais Motors

Se a principal novidade da Strada 2021 é a versão cabine dupla com quatro portas, o modelo de cabine simples também terá atrações próprias. Nas primeiras imagens divulgadas pela Fiat, já tínhamos percebido a presença de uma janelinha lateral depois da porta, dando a entender que se se tratava de um meio caminho entre uma cabine simples e uma estendida. Isso, de fato, é o que vai acontecer. A Fiat confirma hoje (24) que o modelo será chamado de "cabine plus". 

A ideia da nova Strada é oferecer mais espaço na cabine, seja na "plus" ou na dupla. Por isso, enquanto a dupla passou a ter quatro portas e capacidade para 5 ocupantes, a "plus" vai assumir o lugar da cabine simples com uma capacidade de 150 litros para pertences atrás do bancos. Não chega a ser o mesmo "porta-malas" oferecido pela antiga versão de cabine estendida (300 litros), mas é o dobro da cabine simples atual (75 litros). Uma das mudanças, inclusive, foi a retirada do suporte do estepe da cabine, com o pneu reserva passando a ficar embaixo da caçamba. Para evitar furtos, a Fiat diz ter desenvolvido um novo sistema que promete dificultar a vida da bandidagem.   


Se a cabine ficou maior, a caçamba da nova Strada de duas portas também cresceu em volume e capacidade de carga: foi dos 1.220 litros e 705 kg da atual para 1.354 litros e 720 kg na nova, respectivamente. A caçamba agora mede 1,71 metros de comprimento, 3 cm mais do que a geração anterior. Já a tampa manteve a abertura convencional para baixo, mas ganhou amortecimento para reduzir em 60% o esforço ao abrir ou fechar.

A Strada Cabine Plus será oferecida em duas versões de acabamento. A primeira, Endurance, será mais destinada ao trabalho, mantendo o motor 1.4 Fire de 88 cv e 12,5 kgfm de torque e a direção hidráulica. Já o modelo Freedom, voltado ao lazer, emprega o novo 1.3 Firefly do Argo, com 109 cv e 14,2 kgfm, além da direção elétrica. O câmbio será sempre manual de 5 marchas e as duas trarão de série o controle de estabilidade com auxílio de partida em rampas.  


Já na posição de acesso à gama, a Fiat vai manter por enquanto a versão Hard Working da Strada atual, que poderá ter seu preço reposicionado para se integrar melhor à linha - a expectativa é que os valores da nova geração variem de R$ 65.000 a R$ 88.000, conforme apuramos na semana passada junto a concessionários. O lançamento oficial da Strada 2021 acontecerá na próxima sexta-feira, dia 26, quando enfim saberemos os preços oficiais da picape.  

Motor1

  • 17/06/2020
  • SUV

Lançada há pouco mais de um ano no Brasil, a nova geração do Mitsubishi Pajero Sport já passa pela sua primeira mudança no país. Além de novidades no visual e nos pacotes de equipamentos, o SUV agora é vendido em duas configurações, partindo de R$ 291.990.

Veja os preços do Pajero Sport 2021:

HPE: R$ 291.990

HPE-S: R$ 318.990

A principal mudança está no visual do modelo. Na dianteira, as linhas arredondadas dão lugar a traços mais retos e o conjunto de luzes ganha um novo arranjo, abrigando faróis de neblina e indicadores de direção, por exemplo, em uma peça única.


O ponto polêmico sempre esteve na traseira do Pajero Sport, com lanternas que parecem "escorrer". Elas continuam lá, mas foram reduzidas, com a retirada da parte que invadia o para-choque - este, agora mais saliente. A iluminação, em LED, é nova, assim como o aerofólio. As rodas aro 18 foram redesenhadas.

Já o conjunto mecânico permanece o mesmo, combinando o motor 2.4 turbodiesel de 190 cavalos de potência e 43,9 kgfm de torque ao câmbio automático de 8 marchas e tração 4x4, com bloqueio do diferencial do eixo traseiro.


No sistema de tração Super Select 4WD-II, há opções para todo tipo de terreno: o 2H, usado para estradas e vias públicas; 4H, usado para estradas e pisos irregulares, como asfalto, serras e chuva, com distribuição automática entre os eixos; 4HLc, para terrenos acidentados com superfícies de baixa aderência; e o 4LLc, para subidas ou descidas íngremes, rochas, areia e lama.

O Off-Road Mode tem mais quatro possibilidades para enfrentar cascalho, lama/neve, areia e pedras.

Entre as medidas mais importantes, o SUV de 7 lugares tem ângulo de 30° de entrada, 24,2° de saída, 23,1° de subida e 45° de inclinação lateral. O porta-malas tem 971 litros com a terceira fileira de bancos rebaixada.


Versões

De série desde a versão HPE (R$ 291.990), o modelo oferece assistente de partida em rampas, controle de descida em rampas, 7 airbags, controles de estabilidade e tração, banco do motorista com ajustes elétricos, freio de estacionamento eletrônico e chave presencial.

Há ainda central multimídia com Android Auto e Apple CarPlay, faróis automáticos de LED (incluindo luz diurna, auxiliar de curva e de neblina), ar-condicionado automático de duas zonas, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, e sensor de chuva.


A lista segue com frenagem automática de emergência, sistema de prevenção de aceleração involuntária (sensores detectam acelerações fortes quando há obstáculos a 4 metros do veículo parado ou até 10 km/h), piloto automático e limitador de velocidade.

Como opcional por R$ 8 mil, a versão de entrada tem um pacote com piloto automático adaptativo e teto solar.


A configuração topo de linha, HPE-S (R$ 318.990), adiciona à anterior o teto solar, piloto automático adaptativo, aviso de tráfego cruzado traseiro, monitoramento de pontos cegos, assistente de mudança involuntária de faixa e porta-malas com abertura elétrica (por botão e por movimento na parte inferior do para-choque.

O modelo também tem um aplicativo para comandos remotos do veículo, como acender os faróis, abertura e fechamento do porta-malas, travamento das portas e alertas diversos, quadro de instrumentos digital e central multimídia com Wi-Fi.

G1

Depois do vazamento de imagens de catálogo e do flagra de unidades prontas transportadas em cegonheiras, a Toyota finalmente oficializa nesta quinta-feira (4) a apresentação da Hilux 2021. A reestilização (segunda nesta oitava geração da picape) reúne uma série de novidades no visual e atualizações importantes na lista de equipamentos, além de aprimoramentos mecânicos há muito tempo esperados.

Por fora, o grande destaque fica por conta da dianteira totalmente reformulada. A grade, com formato trapezoidal, ficou bem mais robusta e pode ter detalhes exclusivos de acordo com cada versão (o modelo asiático das fotos aparece nas variantes tradicional e Rocco, com aspecto mais esportivo e próximo da configuração GR Sport vendida no Brasil).


Além disso, os faróis com luzes diurnas de LED têm aparência bem mais sofisticada e o para-choque traz novas molduras para os faróis de neblina. Nas laterais, há rodas redesenhadas para todas as versões e molduras plásticas exclusivas para a versão Rocco. Na traseira, as lanternas agora são de LED e têm assinatura de iluminação estilizada na forma de um "3". 

Por dentro, as novidades são principalmente tecnológicas. A central multimídia, até então criticada, agora tem integração com Apple CarPlay e Android Auto, além de botões físicos para ajuste de volume e ligar/desligar. O quadro de instrumentos ganha novos grafismos e o pequeno painel entre os mostradores analógicos agora conta com exibição digital de velocidade.


Mecanicamente, o destaque fica por conta do motor 2.8 turbodiesel programado para entregar 204 cv e 51 kgfm de torque. Na prática, a atualização representa ganhos de 27 cv e 5,1 kgfm de força sobre o motor atual (177 cv e 45,9 kgfm) e finalmente coloca a Hilux em pé de igualdade com as principais rivais Ford Ranger, Volkswagen Amarok e Chevrolet S10 - todas com 200 cv ou mais. As versões com câmbio manual, porém, seguem com os mesmos 42,8 kgfm de hoje.

Além disso, a Toyota diz que fez importantes aprimoramentos na suspensão (neste caso tanto nas variantes 4x4 quanto 4x2). Entre os principais, há novos ajustes para os amortecedores, novas buchas e design otimizado para as molas. Como resultado, a marca promete maior nível de conforto para os ocupantes - sem redução da capacidade off-road.


scroll up